quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Cabelo

CENÁRIO DE UM SONHO: ELA ESTÁ NUM BURACO NEGRO, SENTADA DE PERNAS CRUZADAS E RODANDO NUMA ESPIRAL QUE CAMINHA PARA DENTRO DO BURACO, QUE A ENGOLE ENQUANTO ELA VAI FALANDO. ELA ESTÁ SOZINHA, NINGUÉM A ESCUTA, A SUA VOZ NAO SE PROPAGA NO VÁCUO. É TUDO PRETO AO SEU REDOR. SÓ ESCURIDÃO; E, DEPOIS DA ÚLTIMA INTERROGAÇÃO, ELA É ENGOLIDA DEFINITIVAMENTE PELO BURACO, E ACORDA, DESCABELADA.

Preciso saber de você. Quero saber se você sente minha falta. Quero saber se você ainda me beijaria. Quero, não. Preciso. E talvez seja, exatamente por eu precisar, que você desaparece assim, sem deixar nenhum rastro, sem nenhuma possibilidade de encontro. E o pior é que você me conhece. E você sabe que eu preciso de você. Só ainda não descobrimos por que... só não sei ainda por que preciso de você... Talvez, a razão do seu sumiço seja essa... Enquanto a minha necessidade grita, eu não consigo pensar. A minha necessidade fala mais alto que eu, ela se sobrepõe a mim como uma mão de carrasco que me prende a correntes pesadas, que não me deixam ser livre para caminhar. Eu só consigo arrastar e sentir em meus pés o peso do mundo, que é o tanto que pesa a sua ausência. Como pode uma falta ser tão pesada, não é mesmo?”

Junia acordou, descabelada como sempre. Mas agora não era bonitinha assim. A graça de acordar descabelada tinha ido embora com Marcos, que também levara o seu livro favorito (que, realmente, era dele). Até o SEU livro favorito era dele... Até suas idéias favoritas eram dele... e com esses pensamentos, a preguiça de pentear os cabelos, e uma vontade de sair na rua assim, descabelada, desarrumada e desesperada , feito uma louca silenciosa , para mostrar pra todo mundo o seu estado de espírito naquele dia, bagunçado como seus cabelos... e a única coisa que ela conseguia pensar era:

É FODA SE ENTREGAR POR COMPLETO PRA ALGUÉM QUE A GENTE SABE QUE UM DIA VAI EMBORA E VAI LEVAR TUDO COM ELE E VAI DEIXAR PRA MIM SÓ A CARCAÇA, COMO SE FOSSE O SUFICIENTE PRA EU CONSEGUIR SOBREVIVER. E O PIOR. SE ELE FOI EMBORA ASSIM, PODE SABER QUE O QUE ELE LEVOU DE MIM, ELE VAI DESPEJAR NA PRIMEIRA LATA DE LIXO QUE ELE ENCONTRAR. POIS, NESSE MUNDO, UMA ALMA NÃO FAZ SENTIDO SEM UM CORPO. A ALMA ELE LEVOU. O CORPO FICOU COMIGO. O QUE QUE EU FAÇO AGORA?



Decidiu ir ao cabeleireiro. Sentou-se na cadeira.

- Corta e pinta de vermelho, por favor.

7 comentários:

Erich disse...

As vezes pequenas mudanças te aliviam de grandes dores

DuDu Magalhães disse...

Saber a hora certa de mudar algumas coisinhas pode mudar toda uma vida...

silva disse...

Só muda pra melhor se sua alma voltar...com ele!!

Patrícia Andréa disse...

E vamos ao cabeleireiro... =)
Bjus!

*.*Allegr!a*.* disse...

Me en "Cacho" no teu mundo despenteado!
Sensacional...

beijo

Du Santana disse...

a vida só e completa se agente se entregar, o que é bem diferente de desistir!
E as mudanças exigem coragem! Seu texto é o máximo!


de novo grato por sua visita ao da cor da sua paz! ^^

Marih disse...

Descabeladaaa
Disposta a uma mudança!!!
GosteII
Bjimm