sábado, 22 de novembro de 2008

Conto G.


Estória de G, meninão que dormia na casa da avó, e sonhava com a mina que NÃO comera na noite passada. Como a gata tinha deixado o menino “na mão”, ele foi dormir com a sua fome não saciada. E sonhava com ela. Linda. Morena. Pernas e seios torneados. Sorriso aberto e sedutor. Blusa semi-aberta. Mão acariciando seu corpo. Beijo quente e molhado. O olhar felino provocador o chamava para o sexo. E ele, sempre bem disposto para dominar aquela fera selvagem. Puxa-a para si, com a força de macho dominador. Ela finge resistir, mas, sorrindo, termina de abrir sua blusa e, rapidamente, se deixa entregar, só de calcinha. Preta. Pequenininha. Que ele arranca com a boca. Sua avó entra no quarto, e G. sonhando, só com um fino lençol cobrindo seu corpo, não tem controle sobre a volúpia se seu membro teso e ereto. E devora seu corpo até chegar em sua boca e se encaixar nas ancas daquela fêmea “caliente e seLbagem”, sobre a qual cavalga. E ela geme de prazer. E ele, comendo-a intensamente. O gozo por vir. Sua avó, horrorizada com a cena, lança-lhe um tapa na cara. O que deixa-o ainda mais excitado, a ponto de gritar, pedindo enlouquecidamente: BATE, GOSTOSA! BATE COM FORÇA! E se agarra, ainda com mais vontade, áquele corpo que, não se sabe como, está agora flácido e sem carne. Abre os olhos para ver melhor - e vê: sua avó, deitada sobre seu pau duro, com aquela cara brava de vó xingando o neto. E ela sente, imediatamente, a broxada do neto, ofendidíssima com aquilo tudo, mas, no fundo, feliz com aquela que foi, provavelmente, a primeira e última vez em que um homem a chamou de gostosa com tanto fervor e, ainda, lhe permitiu experimentar o prazer de seu membro encostar em suas partes íntimas que, por baixo do vestido de florzinhas miúdas, guardavam-se também sem calcinha...

11 comentários:

Mijei disse...

legal!

Mijei de Rir - Alegria e diversão!

Tania Montandon disse...

Que ótimo, o nome da menina já diz tudo! tu escreves bem, estilo cativante, embora eu não aprecie este tema, erotico, não há como negar que tens talento

beijos

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Ah q sexy...

Trujillo disse...

Intenso!!! Me surpreendi. Contine que serei um visitante assiduo.
Obrigado pelo post.
Abrcs

http://acordesdeumavida.blogspot.com/

*.*Allegr!a*.* disse...

Tenho cá comigo a impressão de que o conto G daria uma excelente história.
Tirando a entrada farabroxônica da vovó..
hshshs

r. disse...

ai, ai, carol!
ai, ai, carol!

isso quase me lembrou a disposição do pessoal do 3o setor! ahahahahaha! saudade, viu? um beijo.

Jéssica Torres disse...

Por mais bizarro que parece uma vózinha se alegrando com o membro rigido do neto rossando entre suas pernas, é de fato uma boa história! Gostei da forma como expôs a luxuria do garoto!
Escreves bem!

Vanessa Lee disse...

hahahahahaha Mto bom! hahahahahahahaha

E qto a Martina e Ramon, não aconteceu exatamente o que vc tá pensando! A história é mto mais complexa q simplesmente ser "doce história de amor".

humor lecal disse...

belo conto

'erotismo' é um ótimo tema

Dani Santos disse...

adorei, de verdade! A historia, o jeito que escreve, tomara que possamos, quem sabe compartilhar textos. De uma olhada em meus textos depois, beijos!

Edu França disse...

É das piores frustração, perder ereção por susto, porque não volta nem com viagra!!! E um caso assim me dixaria muito puto com vovó, viu!
Eu adoro folhetins e vc escreve com louvor, nos conduz de modo elegante... vc é danada!!!