segunda-feira, 6 de abril de 2009

Urbana


Andando pelas ruas do bairro, às 8 da manhã, num calor já infernal, sentindo a umidade no ar, junto com o cheiro- que é mais forte nas segundas-feiras, porque o lixo do fim de semana se acumula nas ruas, esperando o caminhão passar - e pensando o que apenas uma verdadeira urbana pensaria numa hora dessas: como é bom morar numa capital. Os sacos encostados no canto, as empregadas passeando com os cachorros e com os meninos. As faixineiras na porta dos prédios fofocando. A oficina ainda fechada, ao contrário do trânsito na avenida debaixo, já congestionado. O caminhão de lixo passa, no mesmo momento em que o ônibus buzina para um taxista que o impede de estacionar no ponto. Lembro-me que às 11 horas é o almoço dos pedereiros que às 6 já me acordavam com a cantoria habitual do início do turno- hoje, a vida é bem mais rápida que os automòveis, caro Drummond- e eu adoro isso.

4 comentários:

De repente... disse...

POR MAIS IMPURO QUE SEJA O AR,É A MAIS PURA VERDADE...

Caio Coletti disse...

Gostei do seu jeito de escrever, bem sucinto e interessante... vou seguir seu blog, valeu por ter passado lá no meu... agora, isso de gostar de morar em uma capital eu só posso imaginar, afinal moro no interior... mas parabéns pelo talento!

Abraços
http://filme-pipoca.blogspot.com/
http://lgrimasnachuva.blogspot.com/

Du Santana disse...

Que coisa mai urbana e delicada, é a natureza em concreto entre caminhões de lixo e pessoas e automoveis...
que bom foi ler esse texto!


_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Tem MEME pra vc lá em meu blog, participa?

sofismo disse...

Como metropolitano que sou, só posso te falar uma coisa:
Estou apaixonado pelo seu texto. Parabéns
sobrando um tempo, visite meu blog