sábado, 1 de agosto de 2009

RIMA

Será que eu consigo fazer uma rima?

Ontem , imersa em meu planeta interior
sem saber se saía ou se enfiava minha cabeça na terra
tampando os ouvidos e fechando os olhos
seu telefonema me alerta, me colocando em torpor.
sem saber porque, sem me dizer pra que era
me convoca pra um lugar desconhecido – vc sabe que eu detesto o desconhecido- e me provoca , ameaçando o horror.
mas a verdade, aquela que só se descobre na hora,
foi uma surpresa, dessas que mudar toda a rota.
E, de uma hora pra outra, chorei, revi fantasmas, escrevi resenhas
E fiz análise. E voltei pra casa sem precisar de nada. Com descobertas no bolso. Com respostas que eu ainda não sei como usar. Mas que, ao seu tempo, se mostram úteis, para que a minha vida- tardiamente adulta, tenha o sentido que as vidas têm que ter. Amadurecimento? Não sei. O tempo passa, e a gente continua se perguntando sobre o sentido da vida. Talvez não haja nenhum. Talvez, a brincadeira seja exatamente essa: encontrar respostas para perguntas erradas. Enquanto deus- se há um- ri da nossa cara. ( eu acredito em deus, e acho que ele faz isso mesmo: ri da nossa cara, da nossa inocência). Pois os mistérios ainda são muitos, desde o início da humanidade. Já pensou em parar de se perguntar? Já pensou em se desprender da culpa? Da sensação de que sempre é preciso dar satisfações a alguém, de que sempre é preciso saber o porquê do agir... Já parou pra pensar que cada um é um planeta. Que cada planeta tem seu regimento, e, que o estranho, na verdade, é o tal comportamento padrão? A obediência é estranha. A obediência anula individualidades. Trabalhar sozinho. Pensar sozinho. Negar religiões. Negar práticas coletivas. Negar discursos catequizadores. Ler livros. Literatura. O imaginado. O criativo, o fantástico.o absurdo O ilógico nessa ordem, que foi estabelecida por quem? Pra quem? Quando? Cultura milenar? Coisa nenhuma. O meu tempo é aqui, agora, se muito, dura um século. Eu não tenho que carregar restos. Não vou obedecer. Eu vou fazer o que eu quero. Quando eu estiver certa do que isso é. Mas até eu descobrir, eu quero mais sair errando por aí, pois o acerto prévio não passa de obediência. E obediência tá por fora.

p.s. não. Eu não consigo fazer uma rima. rá


2 comentários:

Vitrine´s secret disse...

rsrsrsrs... tava indo bem!

-daniel d'moura- disse...

O habito revela o homem (shakespeare-Hamelet)...Um bom feriado!